A Alemanha e o castelo do louco!

De trem pela Europa!

A linda e organizada Alemanha me esperava de braços abertos e eu segui minha viagem de trem pela Europa. Saí de Praga no trem das 9h26 e na hora do almoço já desembarcava em Munique. Após minha última cochilada, conversei com um alemão recém mudado para a cidade e ele me ajudou a encontrar o ponto de informações da estação. Mapa na mão e devidamente orientado, segui e cheguei, em menos de 20 minutos, ao hostel Munchen City, que eu já tinha me hospedado ma vez e que gosto bastante!. 

Como em outras cidades, comprei um passe único para o transporte público que era válido por 72 horas. O suficiente para minhas necessidades. 12,30 Euros bem investidos, contando que eu usaria metro e ônibus por muitas vezes.

Vale dizer que, apesar das estações e ônibus não terem catracas em várias cidades européias, o controle acontece e os fiscais estão sempre atentos e à paisana. Se você for pego sem o bilhete válido, além de passar por um “carão” na frente de todo mundo, terá que pagar uma alta multa. Nunca foi abordado por um fiscal, mas digo que, aqui, paga-se pelo transporte com gosto, pois o atendimento é completo, as estações e os trens são confortáveis e você sabe em que hora chegará no seu destino final.

Minha quinta Maravilha estava logo ali. Em 2 horas de trem saí de trem de Munique e cheguei a Fussen. Viajar de trem pela Europa é bom demais. Paisagens lindas, trens confortáveis e a possibilidade de visitar cantinhos menos conhecidos de cada país. Mais 10 minutos de ônibus e eu já estava em Schwangau, com hora marcada para entrar no Castelo Neuschwanstein e com meu Áudio Guide em português reservado. Optei pela subida da montanha a pé e, entre paradas para beber água e tirar fotos, levei 30 minutos para alcançar a porta do Castelo.  O grupo número 483 entrou e eu fui junto. Todos acompanhados por uma guia passando por cada cômodo do castelo.

Castelo Neuschwanstein

Luis II, que se tornou rei da Bavária bem cedo, aos 19 anos, após a morte de seu pai, construiu esse castelo em um lugar privilegiado que com uma vista linda para a região. Sempre li que ele não tinha morado lá, pois ficou louco (talvez com tanto poder) e morreu tragicamente antes do castelo ficar pronto. Porém, lá dentro, vi o seus cômodos e lugares onde disseram que ele gostava de ficar. Uma contradição que só percebi depois. Mas enfim o Castelo está lá, aberto ao público e muito bem conservado para quem quiser visitá-lo.

Meus outros dias em Munique foram ótimos também, visitei o centro, fui à Marienplatz, principal praça da cidade, Allianz Arena, um dos estádios construídos para a copa de 2006, considerado o mais moderno da Europa. Fui ao English Garden, que me lembrou muito o parque do Ibirapuera, em São Paulo, relaxei na beira do Rio Izar, que corta a cidade e serve de “praia” para os locais no verão, passei pela Vila Olímpica e conheci o Museu da BMW, que, para quem gosta de carros, é realmente um prato cheio.

Depois de tudo isso, já era hora reembarcar no trem e seguir minha viagem pela Europa, que era mais um pedacinho da minha volta ao mundo pelas maravilhas modernas do planeta…

———————————————————–

Veja também:

Praga, na República Tcheca! O Mochileiro foi até lá!

À torre mais famosa do mundo!

O incrível Stonehenge, na Inglaterra!

Booking.com

2 thoughts on “A Alemanha e o castelo do louco!

  1. Tenho alto fascinio por esse castelo que gostava muito de visitar um dia. Sabia que o primeiro castelo romantico foi construído em Sintra e é o Palácio da Pena?! Tem de visitar um dia é ainda mais assombroso

Adicionar comentário