San Andrés, na Colômbia. O que fazer por lá?!

San Andrés é uma lindíssima ilha do Caribe. Pertence à Colômbia, mas está (bem) mais berto da Nicarágua. Aliás, ouvi dizer que esta é uma briga de longa data. Essa pérola do Caribe é disputada há anos, pelas suas belezas e pelo seu potencial turístico.

Bom, como eu não estou na disputa, resolvi conhecê-la, assim como muitos brasileiros tem feito nos últimos anos. Inclusive, dizem por aí que com esse crescimento absurdo, a ilha perdeu um pouco de qualidade nos serviços e alguns pontos estão sendo bem maltratados.

Espero que isso mude. Que o governo cuide melhor dessa beleza e que os turistas tratem melhor o local, mas se você quer ter certeza que ainda vai pegar um lugar bonito, corra, pois a coisa tá andando bem depressa!

Aqui nesse post eu vou contar como foi a nossa ida a San Andrés. Dou algumas dicas do que considero legal conhecer e passo algumas informações sobre o local! Espero que curtam!

———————————————-

Embarcamos em Guarulhos e, após 6 horas de vôo chegamos a Bogotá, capital da Colômbia. Mas essa não era (pelo menos naquele momento) a nossa parada final. A nossa conexão foi longa, pois aproveitamos pra encontrar amigos que vivem em Bogotá. Porém, existem muitos voos diários para San Andrés e a conexão pode ser quase que imediata!

Avião chegando em San Andrés
Avião chegando em San Andrés

No reembarque, pagamos a taxa de conservação local (U$ 18 por pessoa) e após mais 1h40, finalmente chegamos. Lá estava Juan, um taxista que atende a pousada Mar Y Sol, que fica no sul da ilha, onde nos hospedamos (saiba mais sobre ela no fim do post, em “onde se hospedar?”). Esse trajeto, do aeroporto, que fica no norte, ao sul da ilha, nos custou 30 mil pesos e levou uns 20 minutos..

Entender como é a geografia da ilha é muito importante. São 26 Km quadrados e as atrações estão espalhadas. Depende muito da quantidade de dias que você tem e de que forma quer aproveitá-los (do que pretende / quer conhecer).

Mapa de San Andrés
Mapa de San Andrés

No centro, perto do aeroporto, está a maioria dos hotéis e pousadas, alguns dos restaurantes e bares mais conhecidos, a praia mais popular, a marina (de onde sai a maioria dos passeios para as ilhas próximas) e o paseo peatonal, onde diariamente, centenas de pessoas circulam, tomam sorvete, assistem a artistas de rua se apresentando, compram artesanato de artistas locais e também visitam as lojas que oferecem tudo sem impostos. Sim, San Andrés é porto livre, então você pode achar bebidas, eletrônicos etc bem mais baratos que o normal. Apesar disso, minha sugestão é: não perca tempo com compras. A ilha oferece lugares lindíssimos e praias incríveis que merecem mais atenção que as lojas!

No nosso 1º dia, além de curtir a piscina do hotel e descansar dos voos, saímos para comer e passear pelo centro durante a tarde.

O 2º dia foi dedicado ao norte centro, por onde passeamos e curtimos a praia Sprat Bight , que, apesar de ser a mais popular, estava bem tranquila e gostosa! Coladinho na praia há uma cervejaria ótima, uma lanchonete e um quiosque do café Juan Valdés, que é o café mais famoso do país. Vale um expresso para os mais tradicionais e vale algo mais incrementado para quem gosta de doce!

 

Sprat Bight
Sprat Bight
Cervejaria em Sprat Bight
Cervejaria em Sprat Bight

No 3º dia dia, alugamos um carro e fizemos um giro pela ilha. Sim, como falei no começo do post, as atrações estão espalhadas e ter um veículo ajuda muito. Veja mais sobre o aluguel de veículos mais pra frente nesse post!

 

De carro por San Andrés
De carro por San Andrés

 

Começamos pela parte oeste da rodovia, em direção ao norte e a primeira parada foi na Piscinita, um local em que o nome já diz bastante. A pequena baía formada pelas pedras parece uma piscina natural e centenas de peixes ficam por ali esperando o pão que os visitantes vão jogar enquanto fazem um snorkeling.

A entrada custa 4 mil pesos e você ganha o pão para alimentar a turminha da água (ou pra matar a sua própria fome, caso queira)!

 

La Piscinita, em San Andrés
La Piscinita, em San Andrés

 

Mochileiro em La Piscinita
Mochileiro em La Piscinita

 

Leve chinelo (para pisar nas pedras até entrar na água) e protetor solar, pois o sol castiga a cabeça e as costas enquanto você brinca na água!

Na sequência, um pouco adiante, paramos em West View. Parece com a Piscinita, porém foi incrementado com um trampolim e com um toboágua que te arremessa pra dentro do mar. O preço é o mesmo e você pode ficar quanto tempo quiser por lá. Inclusive, há quisques que vendem bebidas e se quiser almoçar, o restaurante que fica em frente leva a comida para você. Basta escolher o prato e pagar antecipado. Prepare-se e curta a água antes, pois a porção é generosa e você ficará com cara de jibóia após o almoço!

 

Tobogã em West View
Tobogã em West View

 

Uma outra atração é o “Ojo Soplador”, um buraco na pedra que cospe água na maré alta. Sim, é um algo interessante, mas é preciso ficar atento para saber em qual (is) período (s) do dia o efeito ocorrerá. Além disso, fique esperto com os moradores locais. Guardadores de carro, vendedores ambulantes e espertinhos ficam de olho para cobrar até o ar que você respira, mesmo que o Ojo não tenha “soplado” nada na sua passagem por lá. Não aceite, pois a atração é natural, gratuita e não pertence a ninguém!

Pra fechar o dia, fomos à Igreja Batista de San Andrés, bem no centro da ilha. É a primeira igreja batista da Colômbia e vale a visita. Por 3 mil pesos, você recebe uma explicação de um dos guias, que contam sobre a história local e você pode subir ao campanário, que te oferece uma vista linda de toda a ilha, afinal este é o ponto mais alto de San Andrés!

 

Igreja Batista de San Andrés
Igreja Batista de San Andrés

 

San Andrés vista do alto do campanário da Igreja Batista
San Andrés vista do alto do campanário da Igreja Batista

 

No 4º dia pegamos o VIP Tour, um passeio de barco que não tem nada de VIP, mas que te leva a ilhas a atrações lindíssimas nas redondezas de San Andrés.

A primeira parada foi em Johnny Cay, um dos cartões postais de lá. Essa ilha é lindíssima e você comprovará isso, principalmente se não se limitar a ficar em uma das barracas da praia principal. Pegue seu chapéu, a máquina fotográfica, passe protetor e saia para um giro pela ilha. Isso não dura nem 40 minutos (parando) e você vai ver que lindo é esse lugar!

 

A água de Johnny Cay não tem comparação
A água de Johnny Cay não tem comparação
Conheça o outro lado de Johnny Cay, onde estão as piscinas naturais
Conheça o outro lado de Johnny Cay, onde estão as piscinas naturais

 

A Praia de Johnny Cay, em San Andrés
A Praia de Johnny Cay, em San Andrés

 

Um dos famosos lagartos azuis, em Johnny Cay
Um dos famosos lagartos azuis, em Johnny Cay

 

Almoce por lá, mas não se prenda ao guia que te ofereceu a refeição logo na chegada. Pra quem conhece, o processo é o mesmo das nossas praias do nordeste e de outros lugares. O guia chega falando que tem que reservar o almoço, que custa tanto, que vai acabar, que se não pedir não vai dar tempo, que isso e que aquilo. Não caia nessa. Escolha a melhor opção para você, tanto de restaurante como de comida!

De lá, seguimos para o famoso Aquário, outro dos pontos ditos como imperdíveis! É bonito sim e vale a visita, mas não entre na correria do pessoal do barco!
Ah, nesse local, vale avisar que a estrutura é bem limitada.

 

O famoso Aquário em San Andrés
O famoso Aquário em San Andrés

 

Peixes do Aquário Natural
Peixes do Aquário Natural
Mais peixes no Aquário de San Andrés

 

No último dia, fizemos um passeio incrível e que valeu muito: de caiaque transparente pelo mangue.

O pessoal da Ecofiwi nos levou para uma das regiões mais bonitas de San Andrés e relaxamos remando pelas águas da ilha. No final, um pouco de snorkeling e uma experiência para sempre!

 

De caiaque transparente em San Andrés
De caiaque transparente em San Andrés

 

Mochileiro feliz no caiaque
Mochileiro feliz no caiaque

 

O mangue de San Andrés
O mangue de San Andrés

——————————————————————

O por do sol

O por do sol de San Andrés costuma ser incrível! Vale se programar e escolher pontos legais para contemplar esse momento do dia.

 

Por do sol em San Andrés

 

Mais um por do sol incrível em San Andrés
Mais um por do sol incrível em San Andrés

 

Onde se hospedar em San Andrés?

Hosteria Mar Y Sol – Clique e conheça  site!

Excelente opção para quem quer tranquilidade e ares caseiros. Os quartos oferecem bastante privacidade e a pousada conta com uma piscina deliciosa!

São aproximadamente 20 quartos com ar condicionado, banheiro privativo, redes e TV. A pousada fica no sul da ilha e oferece a paz para quem quer realmente descansar.

O regime de alimentação depende da sua preferência. É possível escolher apenas café da manhã (bem gostoso) até pensão completa. Se você optar apenas pelo café, vale jantar pelo menos uma vez na pousada. Fique de olho no menu do dia! Nós fizemos isso!

 

O nosso apartamento na pousada Mar Y Sol
O nosso apartamento na pousada Mar Y Sol

 

Interior do apartamento na Mar Y Sol
Interior do apartamento na Mar Y Sol

 

 

O delicioso salmão ao molho de laranja que eu comi!
O delicioso salmão ao molho de laranja que eu comi!

Quer consultar valores ou fazer sua reserva? Confira aqui!

Se você quer ver outras opções de hospedagem, dê um pulo no booking do Mochileiro e já consulte a sua hospedagem nas outras cidades da Colômbia por onde passará! 😉

 



Booking.com

 

 

Como alugar um veículo em San Andrés?

Existem várias lojas de aluguel de veículos além de agentes ambulantes pela ilha. Vale consultar e barganhar um bom preço, pois eles variam muito.

As opções são:

Motos – fique atento, pois apesar de práticas, podem ser perigosas;

Carrinhos de golf – boa opção, mas um pouco lentos;

Mulitas – parecem os de golf, mas são um pouco mais fortes. O proble, assim como com os anteriores, é ser aberto;

Automóveis – a opção mais segura e confortável, porém a mais cara também. Há para todos os gostos. Do pequeno smart a grandes 4×4.

Repito, pesquise mesmo, pois não existe tabela de preços. Os valores são dados por conta do humor de quem te atende e da sua cara, de acordo com a análise do funcionário local. Para você ter uma ideia, me ofereceram carros bem similares com diferença de 100% no preço em locais bem próximos. Nós acabamos alugando na própria pousada, onde o valor acabou sendo bem melhor e valeu muito!

Boa viagem!

————————————————————————

Veja também:

Outros posts da América do Sul

Guia de Barbados

O Mochileiro em Machu Picchu

 

 

Booking.com

2 thoughts on “San Andrés, na Colômbia. O que fazer por lá?!

  1. cristiane oliveira dos santos

    - Edit

    Responder

    boa tarde, vou fazer uma viagem para San Andres em novembro, vamos em 7 adultos, poderia sugerir algum imovel para locação na ilha? temos preferencia por local próximo a Rock cay.

    Agradeço a atenção

Adicionar comentário